Wednesday, February 26, 2014

O PT e sua Oposição ao Plano Real

20 anos do plano econômico Real, que acabou com a hiperinflação e promoveu a estabilidade econômica. Evidentemente o plano contou com a oposição do PT. Vejam o que a canalha do partido disse sobre o plano quando ele foi lançado:
Lula“Esse plano de estabilização não tem nenhuma novidade em relação aos anteriores. Suas medidas refletem as orientações do FMI (…) O fato é que os trabalhadores terão perdas salariais de no mínimo 30%. Ainda não há clima, hoje, para uma greve geral, mas, quando os trabalhadores perceberem que estão perdendo com o plano, aí sim haverá condições” (O Estado de S. Paulo, 15.1.1994).
“O Plano Real tem cheiro de estelionato eleitoral” (O Estado de S. Paulo, 6.7.1994).
Guido Mantega
“Existem alternativas mais eficientes de combate à inflação (…) É fácil perceber por que essa estratégia neoliberal de controle da inflação, além de ser burra e ineficiente, é socialmente perversa” (Folha de S. Paulo, 16. 8.1994).
Marco Aurélio Garcia
“O Plano Real é como um “relógio Rolex, destes que se compra no Paraguai e têm corda para um dia só (…) a corda poderá durar até o dia 3 de outubro, data do primeiro turno das eleições, ou talvez, se houver segundo turno, até novembro” (O Estado de S. Paulo, 7.7.1994).
Gilberto Carvalho
“Não é possível que os brasileiros se deixem enganar por esse golpe viciado que as elites aplicam, na forma de um novo plano econômico” (“O Milagre do Real”, de Neuto Fausto de Conto).
Aloizio Mercadante
“O Plano Real não vai superar a crise do país (…) O PT não aderiu ao plano por profundas discordâncias com a concepção neoliberal que o inspira” (“O Milagre do Real”, de Neuto Fausto de Conto)
Vicentinho, atual líder do PT na Câmara dos Deputados
“O Plano Real só traz mais arrocho salarial e desemprego” (“O Milagre do Real”).
Maria da Conceição Tavares
“O plano real foi feito para os que têm a riqueza do País, especialmente o sistema financeiro” (Jornal da Tarde, 2.3.1994).
Paul Singer
“Haverá inflação em reais, mesmo que o equilíbrio fiscal esteja assegurado, simplesmente porque as disputas distributivas entre setores empresariais, basicamente sobre juros embutidos em preços pagos a prazo, transmitirão pressões inflacionárias da moeda velha à nova” (Jornal do Brasil,  11.3.1994).
“O Plano Real é um arrocho salarial imenso, uma perda sensível do poder aquisitivo de quem vive do próprio trabalho” (Folha de S.Paulo, 24.7.1994).
Gilberto Dimenstein
“O Plano Real não passa de um remendo” (Folha de S.Paulo, 31. 7.1994 ).

4 comments:

Anonymous said...

Pelo menos tem gente que ainda lembra do que esta escumalha falava na época. Finalizar com Dimenstein foi ótimo! Este idiota é um petista-deslumbrado, um saberete, típico jornalista brasileiro que acha que sabe tudo e ouve sempre os especialistas errados. Mantega, Merda-andante, Paul Singer, Conceição Tavares são "quadros" petistas na área econômica - seria para dar risada, se esta gente não estivesse no poder.

Anonymous said...

Veja a frase do Marco Aurelio Garcia. Equivalente a nada. Nenhum argumento, nehum raciocínio, uma frase para ganhar manchete. O que a imprensa faz? Dá a manchete para ele e seus companheiros, retiram o PSDB da condução da economia e paulatinamente, para não chamar a atenção, destroem a moeda, as instituições e o país.

Anonymous said...

A reunião de frases é excelente e demonstra a incompetência dessa gente que tem como único plano se manter eternamente no poder, a qualquer custo.
Ocorre que esse artigo foi publicado, originalmente, em 25/2 na coluna do Reinaldo Azevedo no site da Veja. Por que não citar a fonte ? Porque o articulista é "de direita" e a tigrada a soldo com dinheiro público vai cair matando ?

durval candiani said...

TODOS.QUANDO.ESTAO.NO.COMANDO.ECONOMICO.NAO.REDOLVEM ,,,,MAS AO SAIREM ACHAM FORMULAS MILABORANTES,,,Q RESOLVEM TUDO,,,DESDE UMA UNHA encravada ate sogra q nao combinane amores desfeitos!SAO.UNS VERDAEIROS MILAGREIROS,,,OU EMBUSTEIROS???